Breve histórico sobre a certificação

Esta certificação em teste de software começou no Reino Unido com a British Computer Society´s Information Systems Examination Board (ISEB), quando uma comissão de teste de software surgiu em 1998 (www.bcs.org.uk/iseb). Em 2002, ASQF na Alemanha começou a dar suporte a um esquema de qualificação ao testador (www.asqf.de).

O Syllabus (Guia de Estudo) foi inicialmente baseado no Syllabus do ISEB e do ASQF. Inclui um conteúdo organizado, atualizado e novo, e a ênfase é dada aos tópicos que fornecem ajuda mais prática aos testadores. Um Certified Tester Foundation Level - CTFL (ex: ISEB, ASQF ou outra organização reconhecida por uma comissão nacional do ISTQB) obtido por alguém, antes que a Certificação Internacional pelo ISTQB fosse criada, será considerado equivalente ao certificado internacional. Este certificado não expira e não precisa ser renovado.

Com a participação de cada país, aspectos locais são controlados pela comissão nacional reconhecida pelo ISTQB, no Brasil, o BSTQB. As responsabilidades da comissão nacional são especificadas pelo ISTQB, mas são implementadas em cada país. Dentre as obrigações das comissões dos países estão a autorização para prover treinamentos e a ministrar os exames.

No Brasil, a necessidade em dispor ao mercado nacional uma certificação sólida com reconhecimento internacional fez com que a ABRAMTI - Associação Brasileira de Melhoria em TI - conseguisse em 2006 o reconhecimento do ISTQB para criar o BSTQB.

Acesse http://www.istqb.org/istqb-where-you-are/geographic-coverage.html e conheça todos os Conselhos Regionais do ISTQB.

 

Objetivos da Qualificação Internacional

(adaptado da reunião do ISTQB em Sollentuna, Novembro de 2001)

  • Estar apto a comparar a prática do teste entre os diferentes países
  • Capacitar os testadores a trocar conhecimento mais facilmente entre as comissões.
  • Permitir com que projetos multi-nacionais / internacionais tenham uma compreensão comum do empreendimento do teste.
  • Aumentar o número de testadores qualificados ao redor do mundo.
  • Ter mais impacto como uma iniciativa baseada internacionalmente do que qualquer abordagem de um país específico.
  • Desenvolver um corpo comum internacional de compreensão e conhecimento sobre teste e terminologias através do syllabus e aumentar o nível de conhecimento sobre teste para todos os participantes.
  • Promover o teste como uma profissão em mais países.
  • Capacitar testadores a obter qualificação reconhecida na sua linguagem nativa.
  • Permitir o compartilhamento de conhecimentos e recursos entre os países.
  • Prover o reconhecimento internacional de testadores e desta qualificação junto a participação de muitos países.